Dicas de economia de energia na cozinha - parte 1: cozinhando

Publicado em 20/Jan/2021 às 15h01 Atualizado em 21/Jan/2021 às 17h15

Texto e arte: Gabrielle Adabo - IEI Brasil
Revisão técnica: Rodolfo Gomes - IEI Brasil

Um dos principais hábitos que se transformaram com a pandemia foi o de comer fora de casa. Com a impossibilidade de frequentar os restaurantes, e restritos por muito tempo às entregas de comida, nos vimos diante da tarefa de cozinhar as próprias refeições (o que para muita gente foi uma novidade e um desafio). O resultado foi que o uso de aparelhos elétricos que pudessem facilitar essa tarefa cresceu: micro-ondas, fritadeiras, panelas elétricas, sanduicheiras… Com isso, no entanto, também cresce a quantidade de eletricidade gasta e o valor pago por ela na conta de luz ao final do mês.

Um micro-ondas, por exemplo, consome em média 1,5 kWh por hora de uso (veja os consumos médios dos aparelhos na figura abaixo). Se você usá-lo para o preparo das refeições, ao menos 15 minutos por dia, todos os dias de um mês (de 30 dias), ele custará R$ 8,89 na sua conta de energia ao final do mês (veja no quadrinho a seguir como essa conta foi feita).

Como calcular o gasto mensal dos aparelhos na conta de luz?

Fizemos a conta da seguinte maneira para chegar ao gasto mensal do micro-ondas: multiplicamos o tempo que o aparelho é usado diariamente – 15 minutos por dia – pelos 30 dias do mês, o que dá um total de 450 minutos. Esse valor dividido pelos 60 minutos que compõem uma hora dá 7,5 horas por mês. Multiplicamos, então, as 7,5 horas pelo consumo de 1,5 kWh (por uma hora de consumo), o que dá um consumo total de 11,25 kWh para o micro-ondas por mês. Considerando uma tarifa média de R$ 0,79 por cada kWh (cálculo que fizemos com base em uma conta de energia mensal pessoal) e multiplicando esse valor pelo gasto de energia do micro-ondas – R$ 0,79 x 11,25 kWh – chegamos a R$ 8,89).

Vamos supor, ainda, que, além de usar o micro-ondas todos os dias para aquecer e/ou cozinhar a comida, você também utilize uma panela elétrica de arroz para preparar esse alimento. Se você fizer arroz todos os dias na sua panela elétrica que tem consumo por hora de 0,8 kWh, utilizando-a por cerca de 20 minutos por dia, gastará um total de R$ 6,32 na conta de energia ao final do mês (com base no mesmo cálculo que fizemos para o micro-ondas: 20 minutos por 30 dias serão 600 minutos ao final do mês, ou seja, 10 horas; multiplicado pelo consumo de 0,8 kWh, temos 8 kWh por mês; vezes R$ 0,79, que é o custo do kWh, chegamos a R$ 6,32).

Se, além disso, você utilizar a sua fritadeira elétrica sem óleo, a air fryer, em um modelo que gasta 2 kWh para cada hora de uso, durante meia hora todo o mês, gastará mais R$ 23,70 na sua conta de luz mensal (15 horas de uso por mês multiplicado por 2 kWh, o que dá 30 kWh de consumo de eletricidade em um mês; vezes o valor de 1 kWh, que é R$ 0,79, temos R$ 23,70).

Esses valores podem parecer pequenos, mas se somarmos o uso diário desses três aparelhos do nosso exemplo – micro-ondas, panela de arroz e fritadeira – teremos um valor total de R$ 38,91, que deverá ser pago na conta de luz ao final do mês. E isso só com esses três aparelhos na cozinha, sem somar todos os outros usados no restante da casa.

Para ajudar você a economizar energia na cozinha e reduzir o valor pago na conta de luz, listamos, a seguir, algumas dicas.

Dicas:

Prefira o uso de equipamentos a gás
A energia na cozinha não está presente somente na forma de eletricidade. O gás de cozinha também é um tipo de combustível que produz energia térmica (calor) para cozinhar os alimentos. O uso de um fogão a gás pode ajudar a economizar energia e, portanto, dinheiro ao final do mês. Mesmo com as recentes altas do botijão de gás, que custa hoje mais de R$ 80,00, ainda sai bem mais em conta cozinhar com ele em comparação com um cooktop elétrico. Se você utilizar um cooktop de quatro bocas que funciona por indução, tipo de fogão elétrico que pode ter um consumo médio por hora de até 7,5 kWh, durante uma hora todos os dias, pagará um total de R$ 177,75 na conta de luz ao final do mês (7,5 kWh multiplicado por 30 dias é igual a 225 kWh por mês; vezes o valor médio do kWh, que é R$ 0,79, dá um gasto de R$ 177,75).

Use o fogão ou o cooktop nas temperaturas mais baixas após os alimentos ferverem
Depois que a água em que você estiver cozinhando um alimento ferver, você pode colocar o seu fogão na chama ou temperatura mínima porque o alimento vai cozinhar da mesma forma e no mesmo tempo (o arroz, o macarrão, o ovo cozido, por exemplo), independente da intensidade da chama do fogão ou temperatura do cooktop. Mantenha, portanto, o seu fogão na temperatura mínima após a fervura, o que pode economizar muito gás ou eletricidade. Mas, atenção: para quem tem cooktop, a posição mínima de aquecimento pode não ser suficiente para manter a água fervendo (fique de olho)...

Tire os aparelhos da tomada quando não estiver utilizando
Muitos dos aparelhos elétricos consomem energia mesmo estando desligados. Basta que eles estejam ligados na tomada, no chamado stand-by. O principal exemplo disso é o micro-ondas, que gasta energia para manter o display aceso. A dica é retirar todos os aparelhos elétricos da tomada na cozinha quando eles não estiverem sendo utilizados para evitar esse desperdício.

Cozinhe em maiores quantidades e armazene
Esta dica vale para qualquer tipo de equipamento que você esteja utilizando para cozinhar. Mesmo que more sozinho, sempre cozinhe em grandes quantidades e guarde o que sobrar na geladeira ou no congelador. Isso vai reduzir a quantidade de tempo diário utilizado para cozinhar e, portanto, o gasto de energia na cozinha, e ainda vai garantir que você tenha o que comer naquele momento de fome (e preguiça).

Verifique o gasto de energia do aparelho elétrico antes de comprar
Essa informação deve aparecer em kWh na ficha técnica do aparelho nos sites de venda ou na embalagem, caso você esteja comprando em lojas físicas. Ela vai permitir que você faça o cálculo de quanto o consumo de eletricidade do aparelho vai custar na sua conta de luz ao final do mês, como nos exemplos que demos acima. Se você não encontrar essa informação, pode calculá-la a partir da potência do equipamento, dada em watts (W): multiplique o valor em W por 1 (de uma hora) e divida esse resultado por 1000 (1 kW corresponde a 1000 W) para obter o valor em kWh para uma hora de uso do equipamento.

Dica de segurança: verifique o tipo de tomada e a amperagem do aparelho na hora da compra
Se você buscar informações sobre fritadeiras na internet provavelmente vai se deparar com relatos de aparelhos que derreteram a tomada. Talvez até conheça alguém que tenha uma história dessas para contar. Isso acontece pelo uso do aparelho em uma tomada que não comporta a sua potência, esquentando muito além do que ela foi produzida para aguentar. Na hora de comprar, verifique a amperagem das tomadas da sua residência. Normalmente, as tomadas das nossas cozinhas são de 10 A (amperes) e 127 V (volts), que comportam aparelhos elétricos de até cerca de 1500 W (watts) de potência. São aqueles aparelhos que têm as tomadas com os pinos mais finos (4 mm). Todos aqueles aparelhos que têm as tomadas com pinos mais grossos (4.8 mm) só podem ser ligados em tomadas de 20 A (a diferença nos pinos é proposital visando nossa segurança). Você deve encontrar essa informação sobre a amperagem nas fichas técnicas dos aparelhos à venda na internet. ATENÇÃO: não use adaptadores em aparelhos de 20 amperes para ligá-los em tomadas de 10 amperes. É exatamente isso que provoca o derretimento das tomadas e, pior, pode levar a danos em todo o sistema elétrico da sua casa e até mesmo a incêndios.

Os aparelhos elétricos nas cozinhas dos brasileiros

Segundo a Pesquisa de Posse e Hábitos de Uso de Equipamentos Elétricos na Classe Residencial 2019 (PPH 2019), o micro-ondas está presente na casa de quase metade dos brasileiros. No Sul do país, o percentual de posse ultrapassa os 80%. A maior parte das pessoas usa esse aparelho praticamente todos os dias da semana. A boa notícia é que mais de 76% dos brasileiros entrevistados pela pesquisa disseram desligar o micro-ondas da tomada quando não estão utilizando o aparelho.

Leia as postagens anteriores da série "EE em casa":

10 dicas de ouro para manter a eficiência das geladeiras

Dicas de eficiência para as máquinas de lavar roupas

Deixe seu aspirador de pó mais eficiente

Novo comentário

Para comentar faça login.

Não tem uma conta? Crie uma conta.